Farol

Este é o farol Felgueiras na foz do Douro, no Porto.
Todos temos de ter um farol que nos guie a bom porto.
O meu Porto é bom em todos os sentidos.















Bom Porto

Bom Porto
Há sempre um farol num dia negro

Acerca de mim

A minha foto
Sou sonhadora, mas tenho os pés no chão. Sei que não consigo mudar o mundo, mas posso dar uma mãozinha...

Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 6 de março de 2015

Os 25 anos do Público


Hoje, (e desculpem se o relógio já marca o dia seguinte, mas o dia 5 de março ainda não teminou e nem deixo que acabe sem escrever o que tenho para dizer), um jornal diário faz 25 anos. 
Os dias de anos são vividos com diferente intensidade, conforme o número de anos que se vão somando. Um quarto de século pode parecer muito, mas duas décadas a que se somam mais cinco anos até nem é assim tanto tempo. No entanto, o jornal nasceu num ano de mudança. E como mudou o mundo desde 1989! 
A edição é dedicada ao tempo. São destacados acontecimentos marcantes desde que o jornal nasceu até à atualidade. E há o tempo como personagem central: o tempo do universo, o relógio que marca cada segundo, a relatividade que o génio teorizou, o tempo que sobra nas tarefas que a tecnologia agilizou e que não temos porque ocupamos... em mais e cada vez mais novas tecnologias. Ficámos a saber que há gente que vive num outro tempo, sem luz, com muito tempo e com pouco mais. Há outros que já nem parecem deste tempo - este país não é para velhos, porém, há quem tenha nascido há muito, tenha ultrapassado os 100 e continue a celebrar primaveras, desafiando o tempo com a sua longevidade. E há os generosos que acumulam o seu tempo num banco de horas que dão a quem necessita. 
Os jornais têm hoje páginas eletrónicas, onde as notícias são em tempo real. Os jornalistas são gente que dá mais do seu tempo do que o que lhes é remunerado, trabalham para imprimir os factos que marcam o momento que vivemos. Que duração terá esta época política e económica? Que outros ciclos virão? Daqui a 25 anos, talvez o Público faça luz sobre as dúvidas que hoje surgem.
É tempo de dar os parabéns pelo aniversário e por ser um jornal de referência (pelo menos para mim e com isso quero dizer que é bom jornalismo, daquele que trabalha os acontecimentos em vez de fazer notícia daquilo que não o é). E já agora, obrigada pela edição grátis, que vou guardar.

segunda-feira, 2 de março de 2015

O Porto está bem e é recomendado


Se for à baixa do Porto, experimente fechar os olhos e apurar o ouvido. São muitos os idiomas que conseguirá ouvir.
A cidade está na moda e na rota de turistas do mundo inteiro.
Na edição de hoje, o Guardian inclui a cidade num grupo de 10 destinos alternativos, sobretudo pela criatividade e espaços onde se pode visitar a cultura. Da Rua Miguel Bombarda a Serralves, no São João ou noutra altura, o Porto é bom e barato.
Ribeira

domingo, 6 de novembro de 2011

Educar para mudar


Ainda há lugares no mundo onde os meninos e as meninas têm muito pouco nas suas vidas. Aí, as meninas têm, muitas vezes, menos ainda... A educação pode ajudar a mudar mentalidades e dar novas oportunidades.


Oxalá os jovens portugueses estivessem tão motivados para aprender como as crianças da foto.


sábado, 5 de novembro de 2011

Pôr do Sol




O astro rei nasce todos os dias para dar luz, calor, vida ao nosso planeta. E todos os dias dá lugar à noite sem deixar de partilhar um último e maravilhoso sorriso.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

31 de Outubro de 2011

Dia das Bruxas. Dia Mundial da Poupança.



Teremos de ir à bruxa para sair da crise? Não me parece. Temos de fazer muitos malabarismos e sobretudo voar por cima das dificuldades.



Os euros ajudam, mas não são tudo. Se começarmos a valorizar tudo o que temos - a família, os amigos, o sol que nasce todos os dias ainda que às vezes não se veja, mais um dia de vida que nos é oferecido... Descobrimos que somos muito ricos!

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Todas as Cartas de Amor são Ridículas


Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras, Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)

Álvaro de Campos, in "Poemas" Heterónimo de Fernando Pessoa

Não tenhamos medo de parecer ridículos.
No dia 14 de Fevereiro e de Janeiro a Janeiro, diga que ama a todos aqueles de quem gosta!

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Dia Internacional da Mulher



Os dias internacionais são geralmente para causas que não são lembradas muitas vezes.
Em pleno século XXI, a igualdade de direitos entre homens e mulheres ainda não é uma realidade. Por isso, ainda faz sentido dedicar um dia por ano às mulheres.
Este ano a data é ainda mais significativa, porque se celebram os 100 anos deste dia internacional. A 8 de Março de 1910, cento e trinta mulheres morreram num incêndio numa fábrica em Nova Iorque. Estavam em greve para reduzir o horário de trabalho de 16 para 10 horas e para aumentar o seu salário correspondente a menos de um terço do que era pago aos homens.